MENU

- História do Grupo
- História da Alcateia


- Menu Principal


História do Grupo

A inauguração oficial do Grupo 206 (Bela vista) de Setúbal ocorreu a 23 de Junho de 2001, embora o trabalho com as crianças / jovens, remonte a Outubro de 2000.

A ideia de fundar um Grupo de escoteiros no Bairro da Bela em Setúbal já era antiga e surgiu da parte do Dr. Mário Pereira, presidente executivo da ACM (Associação Cristã da Mocidade), que conhecendo as potencialidades educativas do nosso movimento, e tendo disponibilidade de instalações para o efeito, solicitou a Paulino Lopes (escoteiro Chefe Regional  de Setúbal (AEP), que encontrasse uma solução em termos de recursos humanos (Dirigentes) para dar corpo a este projecto.
É em conversa com Paulino Lopes, que José Miguel Nogueira, então Esc. Chefe do Grupo 40 de Palmela decide encabeçar este empreendimento. Esta decisão derivou de uma constatação clara e inequívoca  de que uma resposta social com as potencialidades do escotismo seria de facto importantíssima para o desenvolvimento humano e social dos jovens deste bairro ... e ... era urgente fazer qualquer coisa neste sentido.
Deste modo, em Abril de 2000, no jantar evocativo dos 10 anos de aniversário do Grupo 40 de Palmela,  José Miguel Nogueira informa oficialmente ao escoteiros e pais que vai deixar o Grupo. O Grupo 40 estava definitivamente estabilizado e forte e existia também já uma equipa de chefia (formada na casa) de grande qualidade que daria a melhor sequência ao trabalho desenvolvido até ali .. enquanto noutros sítios, outros jovens ... nada tinham e ... ansiavam por um projecto  esta dimensão humana e social   

O Bairro da Bela Vista é um bairro social  e infelizmente uma zona da cidade de Setúbal onde a exclusão social e a pobreza continuam a subsistir e a marcar directa ou indirectamente o quotidiano e o “modus vivendi” dos seus moradores.

Uma das maiores carências detectadas, continuava a ser a fraca implantação de respostas sociais destinadas aos jovens, que na ausência destas, elegem a “rua” como habitat de todos os dias. Os vícios que estão associados a esta cultura de “rua”, neste tipo de meios, contribuem decisivamente para a não inserção social de muitos jovens, projectando-os para trajectos de exclusão e muitas vezes de auto-destruição.   
“Foi contra esta maré, que não admitimos como determinista, que decidimos remar, com todas as nossa forças” 
A primeira batalha foi ganha ... o bairro e os jovens da Bela Vista vieram nas capas dos jornais e na boca dos jornalistas da rádio, não pela negativa (como até aqui), mas pela positiva, aquando da reportagem sobre a inauguração do nosso grupo.

A equipa inicial de Chefia, que começou a trabalhar em Outubro de 2000, era constituída por 5 elementos: José Miguel Nogueira (ex esc. Chefe do Grupo 40 de Palmela), Paulo Pronto,  Sofia Matos, Silvia Silva e Paulo Dias. Destes, apenas se mantêm no Grupo os dois primeiros. Os restantes abandonaram já o projecto, invocando manifesta falta de disponibilidade.
O Grupo começou a trabalhar com 2 divisões (Alcateia, Tribo Júnior), tendo estado presentes na primeira reunião, os seguintes elementos (que ainda hoje permanecem no grupo): Rudy Cardoso, Ricardo Raminhos, Fábia Rosa, Emanuel Santos (Júniores), Rita Reys, Miguel Cardoso, Luís Mateus e Rui Sampaio (lobitos).
A primeira actividade de divisão (T. Júnior) ocorreu em Novembro de 2000 e consistiu num “Jogo de Pistas” que começava no Forte de São Filipe e que terminou na Herdade da Comenda. Participaram nesta actividade 8 elementos, divididos em 2 patrulhas.
A primeira actividade de Grupo ocorreu em Dezembro de 2000  e consistiu num jantar / Festa de Natal com troca de prendas, que juntou na cantina do ACM da Bela Vista, pais e filhos num convívio muito saudável. O manjar foi um magnífico “Arroz á Valência” confeccionado por Ana Albuquerque (hoje instrutora para o ambiente) a que se seguiu a tradicional troca de prendas e o primeiro “Fogo de Conselho”. Estiveram também presentes vários elementos da Chefia Regional. A festa foi um grande sucesso.
Embora tendo ocorrido estas duas actividades antes de Janeiro de 2001, pode dizer-se que foi a partir desta data que se deu o “ARRANQUE” definitivo do então Grupo em e Formação de Setúbal. A Tribo Júnior e a Alcateia restruturaram-se, as actividades começaram a suceder-se com regularidade e os então aspirantes começaram a  sua caminhada formativa com vista á promessa de lobito e ao compromisso de escoteiro.
O primeiro acampamento de Tribo Júnior ocorreu no PNEC,  em Fevereiro de 2001 e foi uma actividade conjunta coma a Tribo Júnior do Grupo 40 de Palmela. Participaram nesta actividade os então aspirantes: Fábia Rosa, Dulce Semedo, Bruno Raposo, Sandro Teixeira, Diogo Faria, Rudy Cardoso, Ricardo Raminhos, Ana Camilo,  Pedro Bossa e Cheila Teixeira, totalizando 10 elementos. O acampamento correu com normalidade tendo em conta a inexperiência de todos.

O primeiro acampamento de Grupo realizou-se também no PNEC, em Março de 2001 e teve com tema “Deixar o Mundo Melhor”. Participaram nesta actividade todos os júniores que tinham participado na anterior mais os recém admitidos; Conceição Santos, Sara Tavares, Soraia Amado e Marina Dias (14). Pela parte da Alcateia participaram os seguintes lobitos: Rita Reys, Vivalda Isabel, Luís Mateus, Rui Sampaio, Fábio Fortunato, Miguel Cardoso, Gonçalo Cezário,  Teresa Mendes, Marlene Couto e Cláudia Couto (10). José Miguel Nogueira, Paulo Dias, Paulo Pronto e Sofia Matos (4) eram os responsáveis em campo. A actividade correu bem, destacando-se as construções de patrulha, o célebre fogo de conselho do “Confessionário” e o Grande Jogo pela Arriba Fóssil.
O dia escolhido para a Inauguração oficial do Grupo (DIA 23 DE JUNHO) coincidiu com dia onde se realizaram as primeiras promessas e compromissos de honra dos nossos escoteiros.

 O dia de Sábado dia 23 de Junho de 2001 amanheceu solarengo e prometedor. Os dirigentes do 206, contando com a ajuda sempre pronta da chefia regional, acordaram bem cedo e desde logo deitaram mãos á obra. Enquanto o grupo da cozinha (Paulo Pronto, Sofia, Ana Albuquerque, Joana Marques, Sandra Cordeiro (Região), Paulino Lopes (Região) Anabela Rito (Grupo 40) e Mónica Silva (Região) confeccionava os muitos litros de caracóis, o tradicional caldo verde e tratava de toda a logística inerente ao almoço de campo; o grupo das estruturas (José Miguel, Pedro Ataz (Grupo 40) e Pedro Rodrigues (Região), ia montando todas as estruturas necessárias ao bom desenrolar da festa e da animação escotista  (tipo fogo de conselho) que iria decorrer durante toda a tarde.

Por volta das 12 horas, na nossa sede,  tudo estava em ordem; os aspirantes a lobitos e escoteiros juniores, pela primeira vez uniformizados, aguardavam impacientemente o início das cerimónias,  a bandeira do Grupo, “novíssima em folha”, já se encontrava no estandarte, os escoteiros dos outros grupos da Região de Setúbal (40, 123  e 204) também começavam a chegar, aumentando assim a cor e a alegria da festa, as individualidades oficiais também não faltaram (Presidente da Junta de Freguesia de São Sebastião, Representante do Presidente da Câmara Municipal de Setúbal e do Governador Civil e Direcção da ACM em peso) ... enfim tudo aguardava a chegada do Presidente da AEP (João Azeitona) para que tudo começasse.
As cerimónias tiveram início cerca das 13 horas, coma a inauguração oficial pelo Presidente da Associação dos Escoteiros de Portugal do Grupo 206 de Setúbal (Bela Vista) e com a investidura de Escoteiro Chefe de Grupo de José Miguel Nogueira. Logo em seguida efectuaram-se as promessas de 10 lobitos (Rita Reys, Vivalda Isabel, Luís Mateus, Rui Sampaio, Fábio Fortunato, Miguel Cardoso, Gonçalo Cezário,  Teresa Mendes, Marlene Couto e Cláudia Couto) e os compromissos de honra de 10 escoteiros júniores (Fábia Rosa, Dulce Semedo, Sandro Teixeira, Diogo Faria, Rudy Cardoso, Ricardo Raminhos, Ana Camilo, Aldair Dias, Sara Tavares e Soraia Amado).
Em seguida tudo “marchou” para a Herdade das Mouriscas onde se realizou o “Almoço Convívio”, com pais, amigos, chefia regional e os grupos convidados, tendo a festa terminado com uma grande “Tarde de Animação Escotista”, onde as peças de teatro, as canções, as danças e outras animações foram os ingredientes principais.  

  O primeiro ano escotista fechou com a participação do Grupo 206 no Acampamento Regional de Setúbal (Setembro de 2001), onde a delegação do 206 foi a mais numerosa da Região (28 elementos; 9 lobitos, 16 escoteiros júniores e 3 dirigentes).

Esta actividade foi muito apreciada pelos nossos elementos, principalmente pela Patrulha Lobo da Tribo Júnior, cujo o guia, ainda hoje se continua gabar da sua patrulha de ter vencido este acampamento.
Durante os anos de 2001 e 2002 e até esta data,  o Grupo 206 realizou imensas actividades e projectos pedagógicos; a saber: acampamentos e acantonamentos de Grupo e de Divisão, bivaques, boas acções colectivas, um sem número de ateliers pedagógicos, construção de carrinhos de rolamentos, visitas de estudo, jogos nocturnos, jogos de aventura, o Jornal do 206, o Calendário do 206,  Implantação das místicas Celta (tribo) e Harry Potter (Alcateia), outras actividades financeiras, Desenvolvimento das etapas progresso escotista, entre outros muitos projectos.
Durante este ano de 2003, vamos ainda dar início a muitas outras actividades e empreendimentos, quer estejam directamente relacionados com o escotismo, ou não como são os casos do Apoio Pedagógico a Jovens com Insucesso Escolar e o Projecto Saúde Oral.
Em termos de efectivo, o Grupo cresceu,  e segundo as últimas contagens está entre os 50 e os 60 elementos, prevendo-se contudo que este número possa vir a aumentar brevemente com a possível entrada de novos reforços para a Alcateia e para a Tribo Júnior.
A nossa história não acaba aqui ... este é o “fim do início ” ... se quiseres saber tudo sobre as nossas actividades e todas as novidades ... consulta o resto ... da nossa página.

Votos de Boa Caça !


A.E.P. Grupo 206  - 2002