MENU

- As Patrulhas
- Mensagem das Patrulhas
- Animais das Patrulhas:
   . Puma
   . Falcão
   . Leopardo
   . Pantera
- Actividades

- Menu Principal


"A Júnior é que
está a dar"




Histórico das principais actividades de tribo júnior (Resumo)

** Jogo de Pistas do Forte de São Filipe á Herdade da Comenda (11/11/00)
** Jogo de Orientação no Cabo Espichel (03/02/01)
** Acampamento de Tribo com a Tribo Júnior do Grupo 40 no PNEC (16,17,18/02/01)
** Bivaque em Vale de Barris/Escudeira (18/03/01)
** Acampamento de Tribo em Melides (6,7,8/07/01)
** Jogo “Á descoberta de Palmela” em Palmela (29/09/01)
** Jogo “Setúbal na história” em Setúbal (27/10/01)
** Jogo de Orientação em Vale de Barris (10/11/01)
** Jogo de Aventura “A Tribo dos Anéis” em Setúbal (19/01/02)
** Actividade lucrativa de distribuição de panfletos (vários fins de semana)
** Curso de Guias Regional (26/27/01/02)
** Acantonamento de Tribo em Sintra (09,10,11/02/02)
**Acampamento "Jangadas 2002" - Rio Frio - 19,20,21 de Julho
**Jogo de Aventura "A Tribo dos Anéis II" em Palmela / Vale de Barris - Novembro 2002
**Acantonamento de Tribo Júnior em Fernão Ferro - (8,9,19 de Novembro 2002)





  Jogo de Pistas do Forte de São Filipe á Herdade da Comenda (11/11/00)

A primeira actividade de divisão (T. Júnior) ocorreu a 11 de Novembro de 2000 e consistiu num “Jogo de Pistas” que começava no Forte de São Filipe e que terminava na Herdade da Comenda. Participaram nesta actividade 8 elementos, divididos em 2 patrulhas. Dado ser a primeira experiência do funcionamento das patrulhas, “a coisa, não correu grande coisa”, no tocante á entre-ajuda e espírito de patrulha.  Contudo as duas patrulhas concluíram o jogo até mais depressa do que o suposto e de uma maneira geral acertaram a totalidade dos sinais.


Jogo de Orientação no Cabo Espichel (03/02/01)

Esta actividade que foi a primeira da “nova era” (2001), consistiu num jogo de orientação simples pela carta topográfica no qual  as patrulhas partiam de um ponto perto de Sesimbra com o objectivo final de chegar ao Cabo Espichel.

Participaram neste jogo de durou todo o dia, as 2 patrulhas que compunham a tribo júnior no momento (Lobo e Falcão).

O acidentado do percurso (muito rochoso) foi o picante essencial para esta aventura. A paisagem  magnífica que nos acompanhou ao longo do dia foi também muito apreciada por todos. Um facto curioso que aconteceu neste dia deveu-se a um pequeno problema logístico com o carro do Chefe José Miguel. O dito cujo ficou parcialmente atolado numa cratera de lama, só sendo removido por pessoal especializado. 

A actividade correu muito bem acabou com a realização de alguns jogos já no Cabo Espichel.


Acampamento de Tribo com a Tribo Júnior do Grupo 40 no PNEC (16,17,18/02/01)

O primeiro acampamento de Tribo Júnior ocorreu no PNEC,  em Fevereiro de 2001 e foi uma actividade conjunta coma a Tribo Júnior do Grupo 40 de Palmela.
Participaram nesta actividade os então aspirantes: Fábia Rosa, Dulce Semedo, Bruno Raposo, Sandro Teixeira, Diogo Faria, Rudy Cardoso, Ricardo Raminhos, Ana Camilo,  Pedro Bossa e Cheila Teixeira, totalizando 10 elementos.
Neste primeiro acampamento de tribo realizaram-se muitas e variadas actividades como por exemplo; Jogo Nocturno, Construções, Grande Jogo, Fogo de Conselho, etc.
Foi também pela primeira vez que os júniores do então Grupo em Formação de Setúbal cozinharam em campo. O acampamento correu com normalidade tendo em conta a inexperiência de todos.



Bivaque em Vale de Barris/Escudeira (18/03/01)

Este bivaque tinha por objectivo dar a conhecer aos nossos Júniores os moinhos da Serra do Louro e todo o percurso pedestre que os envolve, bem como o de realizar um pacote de jogos de desenvolvimento físico e escotista.
A actividade começou de manhã com uma caminhada pelo trilho dos referidos moinhos, descida da serra e nova caminhada até á escudeira, onde se almoçou.
Na parte da tarde, realizaram-se então os jogos de competição entre as patrulhas. A actividade vespertina ocorreu numa clareira perto da escudeira. Esta foi a primeira actividade da Soraia, da Sara Tavares e da Conceição.
O Ricardo Raminhos “adorou” este bivaque o qual ficou conhecido pelo seu célebre “malho” na lama.
O dia esteve sempre bonito e soalheiro, tendo o calor que se fazia sentir maltratado os júniores (ainda muito inexperientes) durante a caminhada até á escudeira.
A Fábia também participou embora estivesse de muletas ... como terá sido? . A avaliação foi positiva tendo todos referido que o dia foi alegre, agradável e bem passado.




Acampamento de Tribo em Melides (6,7,8/07/01)

Este foi o primeiro acampamento de tribo a seguir aos compromissos de honra.

Zarpamos da sede pelas 21h de dia 6 (sexta-feira). A coisa atrasou-se pois estivemos muito tempo á espera do Escoteiro Chefe João Nunes (do Grupo 40) que vinha dar uma mãozinha ao chefe José Miguel nesta actividade. Fomos  todos de carro (em vários, claro!). O Chefe Paulo Pronto e a Ana Albuquerque deram uma ajuda a transportar a malta a Melides.

O facto de termos já chegado a campo a horas impróprias para montar as tentas, foi superado pelo belo “tacto” e olhos de morcego de cada um.

Este acampamento teve como pontos fortes as seguintes actividades:
- O jogo “Á Descoberta da Natureza”, onde identificámos sons de animais, recolhemos pegadas em gesso (que não ficaram grande espingarda) e supostamente deveríamos tirar fotos a animais (optámos por tirar aos elementos da patrulha);
- O Jogo Nocturno dos “cagáços”;
- O Atelier de construção do Abrigo Natural e o Atelier de medição alturas e distâncias;
- O Fogo de Conselho
- A célebre “Banhada” na piscina municipal de Santiago do Cacém ... o banho esteve por um triz, pois a malta não tinha levado “touca” e o seu uso era obrigatório. Com alguma sorte lá se conseguiu arranjar (no intermarché local) algumas toucas. Como não havia toucas que chegassem para todos, os elementos tomaram banho á vez (a chamada dança do passa a touca).


Jogo “Á descoberta de Palmela” em Palmela (29/09/01)

Esta actividade marcou a chegada à tribo Júnior de 3 novos aspirantes a dirigentes: Pedro Pereira, Ana Ricardo e Sara (esta ultima abandonou pouco tempo depois o Grupo por motivos pessoais). 
O jogo, que durou durante toda a tarde de Sábado, passou por vários pontes de interesse de Palmela e teve como pontos altos os “jogos medievais” no castelo e a famosa “Mistela Mística”, bebida oficial dos cavaleiros da Ordem de Santiago.
O jogo terminou na sede do Grupo 40 da AEP. No final houve ainda tempo para um retemperador lanche patrocinado pela “bolacha maria” e por um sumo concentrado que não nos recordamos da marca.


Jogo “Setúbal na História” em Setúbal (27/10/01)

Esta actividade que decorreu durante todo o dia de sábado veio substituir a caminhada pela Arrábida agendada para este dia, que por razões imponderáveis não se pode realizar..

O jogo decorreu por toda a cidade tendo terminado no Forte de São Filipe.

O objectivo era dar a conhecer a história de Setúbal, os bairros tradicionais e as lendas que se contam da nossa querida cidade.

No final, todos tinham gostado imenso e a alegria contagiava a generalidade dos elementos.


Jogo de Orientação em Vale de Barris (10/11/01)

Depois do Atelier de formação em orientação e topografia levado a efeito na semana anterior a esta actividade, havia agora uma grande expectativa em relação ao desempenho de cada patrulha.
Seria que tudo tinha sido bem aprendido e que ninguém se iria perder?
A cada patrulha foi fornecido um mapa topográfico, uma bússola e os azimutes necessários para encontrar cada posto de controle.
Nesta actividade já participavam as 4 patrulhas que actualmente compõem a nossa tribo júnior (Lobo, Falcão, Puma e Pantera).
O primeiro azimute atiraria as patrulhas para um ponto bem alto (a antena da Televisão no alto da serra do Louro). Todas as patrulhas chegaram a este ponto no tempo previsto, menos as Panteras, que se tinham atrasado intencionalmente para  realizarem a sua “boa acção” do dia.
È que nas escarpadas rochas do Castelo, estavam sitiadas 2 crianças. As mesmas já não conseguiam nem subir, nem descer e pediam auxilio a quem passava. As meninas da patrulha Pantera, logo avisaram o chefe para que procurasse socorro e ... cientes da sua missão escotista ... decidiram prejudicar o seu desempenho no jogo e não abandonar o local, enquanto não chegassem os bombeiros.
O jogo continuou com normalidade e todos conseguiram atingir os objectivos, até que, por azar ou distracção, a Patrulha Pantera perdeu-se num azimute crucial  e ... já ia direitinha a Setúbal quando as foram buscar.
Outro aspecto giro foi a verdadeira escalada pelas rochas até aos moinhos que José Miguel e Ana Ricardo fizeram para conseguirem ganhar tempo em relação às patrulhas.
Estas e outras foram peripécias de uma actividade que no geral serviu para demonstrar que a malta já está preparada para este tipo de jogos topográficos.


Jogo de Aventura “A Tribo dos Anéis” em Setúbal (19/01/02)

Este jogo de aventura, como o próprio nome o indica, foi inspirado no livro/filme “O Senhor dos Aneis”.

Uma das grandes diferenças em relação á história original, é que no jogo o objectivo não era destruir o anel, mas sim encontra-lo.

As 4 patrulhas (que tinham os nomes dos povos da Terra Média) saíram de manhã em busca desta aventura, encontrando pelo caminho várias personagens mágicas que as favoreciam ou prejudicavam, conforme o desempenho de cada patrulha em cada posto.

As personagens eram: o feiticeiro Gandalf, O Rei Miron, uma vidente, Simban o Guerreiro, Kelker o Mutante e uma mendiga. Estes personagens foram meticulosamente encarnados por Paulino Lopes (Chefe Regional), Ana Albuquerque (Instrutora de Ambiente), Alexandra (Amiga do Asp. Dirigente Pedro Pereira), Pedro Pereira e por Jorge Emídio (Esc. Chefe Regional Adjunto).

O jogo foi muito animado e disputado, terminado nas já conhecidas casamatas do Forte de São Filipe, onde o Anel estava escondido.

O sucesso desta actividade foi tão grande que se decidiu nesse mesmo dia levar toda a tribo ao cinema ver o filme; o que se veio a realizar na semana seguinte.




Actividade lucrativa de distribuição de panfletos (vários fins de semana)

A tribo júnior tem participado numa actividade lucrativa que consiste em distribuir folhetos para uma empresa de Setúbal.

Esta actividade geralmente realiza-se aos Sábados e vai até ás 16.30h, situação pela qual nesses mesmos dias as reuniões realizaram-se a partir das 17 horas.


Curso de Guias Regional (26/27/01/02)

Realizou-se nos passados dias 26 e 27 de Janeiro no PNEC um Curso de Guias Regional que contou coma presença dos seguintes elementos da Tribo Júnior do Grupo 206: Rudy Cardoso, Ricardo Raminhos, Fabia Rosa, Sara Tavares, Dulce Semedo, Soraia Amado, Ana Camilo, Sandro Teixeira e Filipe Cabral.

O teor do Curso foi essencialmente pedagógico, embora também o pioneirismo também fosse um tema muito abordado. Na maioria dos módulos, tentou-se conciliar a vertente teórica com a vertente prática.

 Tal como acontece nos cursos de formação para dirigentes houve sempre animações entre os módulos.

Os elementos foram desde o início divididos em patrulhas que continham escoteiros de todos os grupos da Região. As patrulhas apresentaram muitas vezes trabalhos, e realizaram também em conjunto em peça para o grande fogo de conselho.

 No final foi entregue a cada Grupo um manual que tinha sido elaborado para o efeito.

Foi uma actividade que a todos deixou saudades ... que o digam mais efusivamente o Rudy e o Sandro .




Acantonamento de Tribo em Sintra (09,10,11/02/02)

Realizou a  Tribo Júnior um grande acantonamento em Sintra na sede do Grupo 93 durante os dias 9,10 e 11 de Fevereiro (férias do Carnaval).

A partida estava prevista para as 08 da matina ... mas ... tendo em conta os atrasos do costume só conseguimos sair perto das 09 horas.

A tribo deslocou-se em viaturas particulares, sendo de salientar o apoio prestado pelo Sr. Emídio que colocou a sua carrinha de 09 lugares á disposição.

Ao todo éramos 21, 19 elementos e 2 dirigentes.

Mal chegámos á sede do 93, pousámos as coisitas e ala para a serra. Nesse primeiro dia o objectivo era subir até ao Castelo dos Mouros e explora-lo. A subida correu com normalidade. Dentro do Castelo realizámos várias actividades como por exemplo o Atelier de bandeirolas de homógrafo (cosidas cá pela malta), um jogo de homógrafo, diversos pequenos jogos e por fim um jogo de ataque e defesa ás torres do castelo.

Foi em pleno Castelo dos Mouros que conhecemos um “amigo” brasileiro que tinha sido professor de história e que adorou a Patrulha Pantera ... até lhes dedicou um poema com 5 letras apenas (poema esse que durante toda a actividade o repetimos por graça ...).

Outra personagem deveras interessante que o Aldair adorou foi o “homem da flauta”, que com a sua música queria partir o castelo.

Ao fim do dia, fomos visitar o Museu do Brinquedo, a que se seguiu a preparação do Jantar “Carne á Mercês”. As carnes confeccionadas pelas patrulhas até não estavam más, não senhor...

Á noite houve tempo para uma pequena festa de carnaval onde as 3 marias (Rudy, Aldair e Emanuel) deram um grande show.

As máscaras desfilaram também perante um júri muito criterioso. 

No dia 2 da actividade, zarpámos bem cedo para o Palácio da Pena. Tivemos que subir um pouquinho mais que no dia anterior mas a malta já estava rodada e foi canja. 

Ficámos impressionadíssimos com a beleza deste Palácio que visitámos a preceito. Muitos elementos tiraram notas para o tal relatório de 2ª Classe.

Depois almoçamos já no Parque da Pena, no qual passámos toda a tarde. Deu tempo para explorar um pouco este enorme e belo parque e realizar algumas actividades como por exemplo a recolha de pegadas e acções de formação em matérias de 3ª e 2ª classe.

As peripécias das “flores para a mãe” e do “o gesso do joãozinho, que afinal não era pó talco”, vão ficar nas memórias desta actividade.

Á noite realizou-se um bom fogo de conselho onde a qualidade das peças e apresentações melhorou bastante em relação ao do acampamento anterior.

No ultimo dia, ouve ainda tempo para o jogo de vila “Á descoberta de Sintra”, do qual a primeira parte foi passada no Palácio Real (ou palácio da Vila). A segunda parte decorreu nas ruas do centro histórico.

No final e depois do almoço em tribo (o frango estava um espectáculo) limpámos toda a sede e partimos para Setúbal. A Ana Camilo adorou andar de comboio.




Acampamento "Jangadas 2002" - Rio Frio - 19,20,21 de Julho

Esta grande actividade foi a última em que participaram como júniores o Rudy, o Bossa, o Ema, a Sara Silva, a Vera, o João e a Dulce.  Arrancámos da sede cerca das 20 horas e montámos as tendas já de noite, que foi um espectáculo. Ainda no primeiro dia (19), realizámos um jogo nocturno cujo tema era a "sobrevivência". Neste emocionante jogo de acção, trabalhou-se a cadeia alimentar e o equilíbrio entre as espécies. Numa determinada área geográfica, interagiram os pequenos e grandes herbiveros, com os pequenos e grandes carnívoros ,,, mais o homem, claro. Para baralhar e dificultar ainda mais as coisas, surgiram as epidemias e as calamidades naturais, que mataram muita bicharada. O jogo correu bastante bem e deu para perceber o verdadeiro poder destruidor do
 homem sobre as restantes especies animais.

O dia 20 começou coma preparação das "Olimpíadas de Rio Frio", um pacote de actividades físicas e de atletismo como o corta mato, os 60 metros planos, o salto em comprimento, o lançamento do bordão (vara), entre outras. Durante estas provas descobrimos que a Dulce e o Bossa são bons corredores e que o Rudy salta como um sapo. No fim distribuíram-se as respectivas medalhas.

Terminadas as olimpíadas, começou a construção das jangadas, feitas exclusivamente com câmaras de ar de tractor,  camião e carro e troncos. As bóias foram cheias "á bomba pezeira", o que custou um bocadinho (algumas horas).
As actividades náuticas que duraram toda a tarde de Sábado, correram muito bem e foram muito animadas e competitivas.

Depois do jantar realizou-se o já tradicional fogo de conselho do qual destacamos a "viola" do João (nosso convidado de honra) e o Rap do Rudy.

A manhã de Domingo foi animada pelo Souts Game, um jogo em que entraram pistas, obstáculos, códigos, etc.

Depois do almoço, começaram as desmontagens, ao que se seguiu a avaliação final da actividade e a partida para Setúbal.
Toda agente adorou a actividade e o local onde a realizámos (Rio frio).

Nesta actividade, participou integrado na patrulha Lobo, o Gil, um amigo que aproveitou também esta excelente oportunidade.



Jogo de Aventura "A Tribo dos Anéis II" em Palmela / Vale de Barris - Novembro 2002

Depois do sucesso do Tribo dos Anéis I, eis que decidimos repetir a dose e realizar a segunda Aventura.
A Serra dos Barris foi o local escolhido para o início da Aventura, na qual as patrulhas reencontraram muitas personagens já conhecidas da primeira edição:  o feiticeiro Gandalf, o Rei Miron, a vidente, Simban o Guerreiro, Kelker o Mutante e a mendiga. A "Cena" mais arrepiante passou-se quando as patrulhas entraram numa "casa mágica abandonada" e na qual viveram sensações alucinantes. O jogo decorreu a bom ritmo e no final todos procuravam o famoso anel nas torres do castelo de Suaron (Castelo da Palmela). A patrulha Pantera foi a que primeiro descobrir o valioso anel, vencendo assim o jogo.

Acantonamento de Tribo Júnior em Fernão Ferro - (8,9,19 de Novembro 2002)

Este acantonamento decorreu em parceria com a tribo Júnior do Grupo em Formação de Fernão Ferro. No primeiro dia (sexta-feira) destaca-se o jogo nocturno que correu muito bem e o acto comunitário que realizámos em seguida.
O dia de sábado foi marcado por várias e animadas actividades, das quais, destamos o grande jogo (á tarde) que levou os escoteiros a seguir uma pista pelo meio da Herdade da Apostiça. O Jantar (concurso gastronómico) pôs em concorrência alguns cozinheiros afamados da tribo. O "esparguete á bolonhesa" foi o prato escolhido para a refeição. Tirando o esparguete da "Puma" que parecia Cerelac, os restantes, até não estavam maus de todo :)
A noite teve o auge com o Fogo de Conselho, no qual foi entregue o prémio de Patrulha do Mês de Outubro á Patrulha Puma. Este Fogo de Conselho foi muito positivo e animado , pois foi bem preparado pelas patrulhas júniores.
No Domingo de manhã, jogou-se o Concurso "O elo mais fraco escotista", actividade que gerou muita competição entre as nossas patrulhas e as de Fernão Ferro e  foi disputada até ao fim.
Depois de termos confeccionado as "costoletas escotistas", avaliámos a actividade e partimos para a sede pelas 17 horas.
A patrulha Falcão venceu este acantonamento.







A.E.P. Grupo 206  - 2002